Moça, olha aqui pro lado só por um minuto. Um minuto não é muito tempo mas é tudo o que eu tenho pra te dar um sorriso. É meio arriscado, moça, dá um frio na barriga: não saber o que vou ganhar de você em troca do meu sorriso amarelado e sincero. Mas olha moça, é tudo o que eu tenho. Se você não estivesse sozinha eu talvez já soubesse o seu nome. Te vi sorrindo pra tela do seu celular e morri de inveja dele. Ele te tem por várias horas e eu só quero um minuto seu. A última vez que você olhou não foi nem pra mim, foi pra minha direção. Durou nem dez segundos, moça, cê acha que isso é justo? Faz meia hora que estou parado aqui olhando pra você, pensando em uma maneira de te descobrir sem parecer um psicopata perigoso que vai te atacar à qualquer momento. Mas quando eu te vi ali parada moça, você parecia uma viajante do tempo com à destino a qualquer lugar que eu queria ir.
Tem umas vinte pessoas aqui, talvez mais. Mas é você e até o meu sistema imunológico sabe disso. Você sabe o quanto isso é raro hoje em dia, moça? Olhar pra alguém em um lugar-comum e sentir o coração disparar? Eu nem lembrava que tinha um coração. Não lembrava até agora.
Te olho e observo a curva que uma mecha do seu cabelo faz atrás da sua orelha. Coisa mais linda. O cabelo também. Mas e você olhar pra mim por um minuto, nada. Bandida.
Em trinta minutos já desenhei na cabeça você aceitando o meu convite pra jantar. Piegas, quem convida alguém pra jantar hoje em dia? Estou com medo de você não ser chegada à pizza ou ser vegetariana. Estou com mais medo ainda de você sair daqui sem me dar aquele minuto. Não vou nem pensar no medo de você não querer entrar de uma vez na minha vida.
É engraçado isso: você é linda e nem sabe. Talvez você até tenha a auto-estima de dizer que sim, mas como: você não sabe. Você não sabe o quanto é linda essa pinta no seu braço esquerdo. Não sabe que não dá pra explicar as sensações que a sua presença é capaz de provocar. Fiquei pensando: será que eu sou lindo também e não sei? Não, eu não. Se fosse, você já teria olhado pra mim. Se eu não tivesse feito a barba, não tivesse faltado à academia ontem, se eu não estivesse parado com cara de bobo e isso aqui não fosse um vagão de metrô, estaria segurando a sua mão agora.
Mas moça, vê se não faz isso com a gente. Vê se não desce na próxima estação. Vê se me deixa saber que o seu nome é tão lindo quanto as risadinhas que você dá para o whatsapp. Queria te prometer que não te roubarei lágrimas e que vou ficar pra sempre no mesmo lugar esperando você. Só achei que não era uma boa começar mentindo. Ah, moça. Você é o amor da minha vida mas te contar isso agora é loucura demais. Talvez eu seja o amor da sua vida também, já pensou nisso? Não pensou. Eu posso não ser muita coisa além do cara no vagão do metrô, na fila do supermercado, o próximo no estacionamento, o mais bonitinho na mesa cheia de homens da sua happy hour. Mas como eu queria ser mais, moça. Era só você olhar pra mim.
Tchau moça. Se cuida por aí. Foi bom amar você da Sé até a Barra Funda. Te vejo em um mundo em que não seja loucura te tirar dos seus fones de ouvido pra falar das minhas bobagens. Tchau moça. Você é linda, viu? Fica com Deus, se cuida por aí.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário