Beijo não me liga.



Isso mesmo. Você tinha tudo: olhos claros, altura compatível com meus saltos altos, nem gordo com barriga de chopp que atrapalha minhas posições preferidas, nem malhado exótico que eu teria que ficar disputando olhares com todas as mulheres na rua. Tinha até papo, coisa mais difícil hoje em dia. No meio de mensagens no Tinder regadas à erros ortográficos ou intenções explícitas demais, sair para um sorvete e acabar em astronomia e sucessos do cinema foi algo além das expectativas. Eu estava começando a me encantar, até eu perceber que aquele papo profundo e altamente nerd não abriria espaço pra qualquer conversa humana, pra qualquer piada boba, pra nenhum sorriso fácil que acaba falando mais por nós dois do que qualquer intelectualidade.

Estou aqui pra te dar aquela dica esperta para as próximas vezes em que você marcar encontro com alguém. Não seja esse cara chato que quer colocar regra e me dizer sobre o que posso ou não falar em pleno domingo. Não faça essa cara de bosta se eu resolver discordar daquela sua idéia que parece ser tão genial. Eu acho perfeitamente lindo que você saiba citar filosofia, fazer contas de cabeça e mais três idiomas com fluência. Mas sinceramente, de que adianta tudo isso, se você não consegue ao menos me olhar enquanto fala?

Eu entendo que, talvez até agora nenhuma mulher soube valorizar todos esses seus atributos conquistados com muito estudo, suor e lágrimas. Você provavelmente deve estar de saco cheio de perder suas namoradas para os saradões de cérebro vazio durante o carnaval. Mas talvez não seja apenas uma questão de pesos à mais ou à menos na academia.  Talvez ela só queira alguém que não reaja com desprezo às suas inseguranças. Talvez ela queira alguém que também faça sujeira pra comer cachorro quente. Talvez ela também só esteja afim de sexo, mas com uma pessoa que consiga, mesmo por poucas horas, fazê-la se sentir especial.  

Então se você estiver perguntando o motivo de eu ter parado de atender suas ligações e responder as suas mensagens, foi porque você era um chato. Desculpa mesmo. Até eu gostaria de ter sido diferente e que a gente pudesse sei lá, rir dos defeitos um do outro em mais um domingo de praça pôr do sol. Mas ultimamente eu to dispensando aqueles que não me permitem ser a mulher que eu trabalhei tanto para construir, com todos esses medos e defeitos. Eu espero que alguém tenha um coração mais disposto para te abrir os olhos, ou que você encontre uma outra chata que vai acabar fazendo um par bacana contigo. Eu vou continuar procurando, ou melhor, vivendo a vida enquanto a simplicidade de um encontro mais tranqüilo não chega pra finalmente, ficar.

Comentários
1 Comentários

1 comentários:

  1. Pois é, Bharbara. Tudo muito bem falado e observado...
    Ponto para você. Quanto ao "chato", é chato falar disso... Melhor tomar um sorvete, tomar um chopp... Sei lá, essas coisas que não são chatas. Papo "cabeça", já era...

    ResponderExcluir