Ele me disse.
E mesmo sem acesso a um espelho naquele momento, eu conseguia imaginar a minha reação perplexa. Senti meus olhos arregalarem, meus braços e ombros congelarem na posição defensiva em que eu já me encontrava. Não fiz um movimento sequer. Apenas fixei meus olhos nos dele como se esperando uma explicação.
"Está escrito nos seus olhos, ecoando nas suas palavras, berrando através dos seus gestos, estampado na sua testa. Você ama alguém".
Eu sinceramente detesto ser confrontada por essa realidade. Mas eu comecei a perceber que a grande maioria das pessoas acaba tendo a mesma constatação sobre mim a partir do segundo minuto de conversa. A diferença é que a maior parte delas simplesmente não se importa, ou acha invasivo demais jogar essa pergunta no meu colo. Mas eu vejo nos olhos delas como elas vêem nos meus. Sinto seus reflexos de pena quando me pegam com o olhar perdido do outro lado da rua.
Essa é a primeira vez que alguém me enfrenta com tamanha precisão e coragem.
Era pra ser um encontro daqueles românticos entre dois desconhecidos procurando somar uma solidão. Já deu pra perceber que não aconteceu.
Tentei usar a máxima que uso em praticamente todas as vezes que isso acontece.
"Eu amo. Sabe essa mulher na sua frente? Sou completamente apaixonada por ela". As mãos no meu cabelo sugeriam um amor-próprio forçado como todas as outras mentiras são.
"Ok. Eu vou respeitar o seu silêncio então" ele ignorou.
"É verdade!" eu sorria, não um daqueles sorrisos sem graça, meigos e charmosos, mas um sorriso nervoso de quem acaba de ser pega no detector.
Lucas pegou nas minhas duas mãos.
"Olha, eu não sei nada sobre a sua história
Talvez eu nem precise saber.
A maioria das vezes é sobre duas pessoas boas
Que fazem más escolhas
E ferem alguém que se importa.
Eu tenho certeza de que,
você já ouviu inúmeros conselhos
e já seguiu todos ao mesmo tempo
até um de cada vez,
Tenho certeza de que,
Existe uma voz falando alto em você,
nos lugares onde você passa
Nas coisas que você faz
Numa música ou frase de um livro,
A voz doce
e ao mesmo tempo amarga
Da pessoa que você ama.
E também tenho certeza de que
Durante todos os últimos dias que você viveu
Sem a pessoa que você ama
O mundo pareceu despopulado
apesar de cheio
E as coisas mais legais de se fazer
Se tornaram frias e vazias.
Aí você escolheu se tornar essa mulher forte que
estou vendo na minha frente.
Arrumou as tralhas
Levantou a poeira
Ficou linda, viajou
E aceitou vir tomar esse café comigo.
Mas todas essas coisas,
(e apertou minha mão forte pra me ajudar a não chorar)
Não mudaram o fato,
de que você ama alguém".
Eu abaixei os olhos, roubei uma das minhas mãos de volta para abafar o nariz vermelho e algumas tímidas lágrimas que ameaçavam cair. Respirei fundo, me recompus. Pensei no local cheio de pessoas estranhas e em todas as milhares de vezes que treinei a máscara de "está tudo bem comigo".
"Até quando?" a minha voz cansada quase não saiu.
"Até sempre.
Hoje, amanhã e depois.
Até quando uma nova chance chegar.
Mas até lá, você precisa fazer um favor para si:
Seja honesta consigo mesma.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Quão belo, puro e sincero este seu texto. Gostei tanto, tanto, tanto... que você nem imagina o quanto gostei.
    Vem aqui na Comunidade, Bharbara. Gostaria de ouvir o que tem a nos dizer sobre um Comentário, uma postagem... até mesmo um +1...
    Queremos conhecê-la, Bharbara.
    "Vem aqui!

    ResponderExcluir