A gente nunca sabe quando vai ser a última vez que olha nos olhos de alguém. Qualquer um pode simplesmente sair pro trabalho e nunca mais voltar. E não é necessário morrer pra isso.

Nem sempre é preciso ir embora. Às vezes a gente apenas muda, abandona hábitos, adquire novas visões, muda de direção, de gosto, vai lapidando a nossa personalidade. Nós estamos sempre mudando, porque tudo o que acontece ao nosso redor tem esse poder.
Mudar talvez seja um pouco diferente de crescer. E nada nos faz crescer mais do que errar. Nem todos crescem com os próprios erros, mas alguns crescem até com os erros alheios. Errar dói, custa muito, e na maioria das vezes não tem reparo. Então a única saída que encontramos é aprender, e consquentemente o que aprendemos nos faz crescer. Somos todos uma construção daquilo que aprendemos ser o certo e o errado, por mais relativo que isso seja.
Mas crescer é uma opção, e mudar nem sempre é. Aliás mudar parece ser muito mais difícil quando nós Decidimos isso. Crescer é o que te resta depois que você percebe que acabou de estragar tudo. Mudar é o que você faz pra alguma coisa parar de incomodar (conscientemente ou não), como quando você decide encarar de outra forma uma consequência ruim e tudo passa a ficar mais leve pra você.
Mas você também pode crescer (ou mudar) quando erram com você. Normalmente as pessoas mudam, porque não querem sentir a mesma dor mais de uma vez, e crescer não garante isso. Afinal nós nem sempre conseguimos manter na memória tudo aquilo que aprendemos durante a vida toda. Se fosse assim, seríamos Super Humanos, mas às vezes é necessário repetir algumas lições.
Eu acho a mudança o tipo mais difícil de morte. É, de morte.
Porque você precisa se forçar a entender que aquele(a), não existe mais. Mas continua vivo, diz o que nunca diria, faz o que nunca faria. Está morto, mas ainda vive. É por isso que muita gente passa pela nossa vida e tão poucas permanecem. Porque todos nós mudamos, e nem sempre a gente se adapta àquela pessoa nova. Nem sempre a gente consegue lidar do mesmo jeito com as mudanças do outro. Assim aquele seu melhor amigo passa, depois de alguns anos, a ser um estranho. Assim aquele relacionamento passa a não fazer mais sentido.
 E eu tenho a teoria de que Deus escolhe a dedo aquelas pessoas que ele sabe que vão permanecer. Porque desde o começo, ele sabia que todas as mudanças seriam compatíveis. Como se num plano perfeito, as vidas certas se cruzassem no momento certo, e você pudesse escolher 1 em cada 10 que passam, pra permanecer. Aquele que você chama de irmão. De amor. De pai e mãe. Esses que não importa quantos anos passem, vão ser os mesmos pra você.
De qualquer forma eu acredito que nós nunca devemos evitar nem mudanças nem crescimento. Mesmo que algumas pessoas não saibam lidar com quem nós nos tornamos com o passar do tempo. Porque mudar e crescer é o nosso direito natural e inevitável. É a melhor forma de encontrar o nosso próprio caminho. Esse é um jogo onde se ganha e se perde muito e por isso muitos tem medo. As pessoas que tem medo de mudar e de crescer acabam vivendo a vida de outras, sonhando sonhos que não são seus. Mas a vida só começa quando a zona de conforto acaba.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário