Eu tenho um casal de amigos que, apesar de gostar muito, anda me enchendo o saco. Na verdade eles não são muito bem um casal. Ele tem um tesão inegável por ela. Ela morre de vontade dele. Pra mim, que sou atacante do time da praticidade, essa história acabaria aqui, com os dois pedindo licença e saindo de mãos dadas rumo à cama mais próxima, felizes para sempre, fim. "Mas", e essa é a palavra que tem ganho meu ódio cada vez maior, existe uma série de protocolos sociais babacas que ambos insiste
m em seguir e que torna tudo desnecessariamente complicado. O que eu não consigo entender é a necessidade que eles tem de colocar um "mas" que não existe antes das coisas. "Mas" eu preciso saber se ele gosta de mim primeiro. "Mas" eu tenho que ver qual é a expectativa dela. "Mas" eu não sei se eu estou pronta pra isso. "Mas" e se ela não gostar? E fazendo o papel de intermediadora, eu procuro de toda forma mostrar pros dois que os "mas" que realmente importam não está entre eles, torcendo para que finalmente caia o muro de Berlim invisível que as idéias deles (que na verdade nem são deles) construíram. E como meus super poderes intuitivos revelam que, assim como o meu querido casal de bobos, milhares de vocês estão na mesma situação, gostaria de comunicar meus singelos desejos à vocês.
Eu desejo que vocês experimentem a luz apagada, a luz acesa, a meia luz, e a luz da lua. A do Sol também serve, só tem que tomar cuidado. Que vocês dividam drinques e olhares num bar apertado e conversem bastante pra descontrair os momentos que estão por vir. Que ela se levante pra ir ao banheiro, mas na verdade é só pra você apreciar aquela curvinha que ela tem atrás do joelho e que tem cara de beijo e mordida. E poder imaginar o cheiro do perfume que ela colocou ali, só pra você. Que você abra a porta do carro pra ela entrar. E depois a do seu apartamento. Eu prefiro que vocês não aguentem de vontade e se peguem no elevador, assim não vai dar tempo pra ficar desconfortável pra ela estar num território tão bem marcado como seu. Mas se não rolar, que dê tempo de chegar à sala e desfrutar de um bom vinho e uma música legal.
Eu quero que vocês se fodam. Ela, de um jeito que não dá pra não gemer. Ele, do jeito de quem não vai parar. Quero gotas de suor suas pingando no colo dela. Quero as unhas vermelhas dela fazendo marcas nas suas costas. Quero olho no olho e mãos entrelaçadas. Pode prender os pulsos dela como quem domina. Pode virar os olhos quando ela beijar o seu pescoço. Pode passar a barba mal feita pelo pescoço dela, e por onde quiser. Eu não gosto de mordida, mas vocês podem se morder.
Eu quero que vocês alternem o papel de presa e predador. Que vocês provem para a física que dois corpos podem ocupar o mesmo espaço, sim. Ou que pelo menos cheguem perto. Quero que vocês ganhem marcas rochas e costas doloridas, por preços que valem à pena pagar. Quero, e mais que isso, desejo; que vocês cheguem juntos ao clímax. E naquele momento, vocês vão perceber que o mundo inteiro fará segundos de silêncio em respeito ao seu prazer. E que vocês peguem no sono juntos, exaustos, sem se preocupar com a responsabilidade que dormir de conchinha pode agregar ao dia seguinte, porque gente, essa responsabilidade simplesmente não existe.
Eu quero
que vocês sejam livres de vocês mesmos
e das idéias alheias em massa
que em sua grande maioria são babacas.
Quero que vocês continuem se fodendo até virar amor.
E se não virar,
Que continuem dividindo drinques e sorrisos naquele bar.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário